sábado, 6 de fevereiro de 2016

Seis Drogas Perigosas que Devemos Pensar Muito antes de Usar.

Seis Drogas Perigosas que Devemos Pensar Muito antes de Usar.


Artigo editado por Ethan A. Huff, staff writer.

Traduzido pelo Nutricionista Reinaldo José Ferreira CRN3 – 6141
reinaldonutri@gmail.com
www.suplementacaoesaude.blogspot.com.br




Simplesmente porque o seu médico considera necessário, não significa necessariamente que esta ou aquela droga, seja segura para você tomar. Muitos medicamentos populares, ao que parece, vem com o potencial para efeitos secundários graves, incluindo quase tudo, desde náuseas de curto prazo e dores de cabeça até miopatia inflamatória crônica e doença cardíaca ou mesmo efeitos ainda piores.

Mas esta informação importante é muitas vezes encoberta da vista do público, que perpetua intencionalmente o mito de que os benefícios dos medicamentos aprovados pela FDA superam quaisquer riscos. Então, para dar-lhe uma compreensão mais sólida sobre o assunto, aqui estão seis classes de medicamentos que você definitivamente deveria pensar duas vezes antes de tomar devido a seus perigos inerentes:



1) Inibidores da Bomba de Prótons (PPIs).

Milhões de americanos tomam PPIs para aliviar os sintomas da doença de refluxo gastroesofágico (GERD), uma condição caracterizada por alimentos e ácido no estômago voltando para o esófago e causando danos. Mas os PPIs como Nexium (esomeprazol) e Prevacid (lansoprazol) demonstraram bloquear a absorção de nutrientes e de inibir a produção de ácido gástrico necessário, o que pode causar uma série de outros problemas de saúde. (Http://well.blogs.nytimes.com)
A Food and Drug Administration (FDA) emitiu, pelo menos, uma dúzia de advertências sobre os perigos dos PPIs, que incluem um aumento do risco de diarreia bacteriana, a deficiência de magnésio, e fraturas ósseas (http://www.fda.gov). O consumo em longo prazo dos PPIs também foi associado a um maior risco de pneumonia e ao aumento de peso corporal.
(http://www.naturalnews.com/036336_PPIs_acid_reflux_side_effects.html)


2) Estatinas.

A classe de droga top de vendas durante vários anos, as estatinas são saudadas pelo sistema médico como um tipo de cura milagrosa para o colesterol elevado e doenças cardíacas. Mas as estatinas como o Lipitor (atorvastatina cálcica) e Crestor (rosuvastatina de cálcio) mostraram aumentar significativamente o risco de diabetes, doença hepática, dano cerebral, atrofia muscular, e até mesmo a morte prematura dos usuários. (Http://www.drfranklipman.com)


A Estatina faz Você se sentir Velho e Cansado Antes do Tempo:

Dor muscular, incapacidade de concentração, problemas de memória, nevoeiro geral no cérebro, são efeitos colaterais comuns, que muitos médicos vão afirmar que são consequências "normais" do uso da estatina. Fácil para eles para dizer! Se os problemas musculares e cognitivos não bastassem, as estatinas também aumentar o risco de diabetes, de modo que qualquer um desses três problemas crônicos que comumente se atribuem ao envelhecimento; as dores, o declínio mental e a diabetes podem realmente ser as estatinas fazendo um número maior em você! Que outros efeitos colaterais "normais" você pode tolerar?
E quanto a estes:

Redução da energia.
Perda do interesse nas atividades.
Aumento do cansaço após o exercício.
Disfunção erétil.
Perda de memória, semelhante ao Mal de Alzheimer.
Disfunção hepática.
Problemas digestivos: náusea, gases, diarreia, constipação.
Erupção cutânea ou rubor.
Fome.
Aumento do risco de Cataratas.

Os efeitos colaterais das estatinas são tão graves, de fato, que o FDA recentemente expandiu seus avisos oficiais sobre o uso (http://www.fda.gov/ForConsumers/ConsumerUpdates/ucm293330.htm). Além disso, mais de uma dúzia de estudos mostram que tomar estatinas para prevenção primária faz pouco, se alguma coisa, para prevenir ataques cardíacos ou acidente vascular cerebral, o que significa que é uma classe de drogas ou um medicamente inútil para os milhões de pessoas que recebem a prescrição para usá-los. (Http://www.minnpost.com)



3) Antibióticos.

A principal causa de resistência aos antibióticos "supermicróbios," é que os antibióticos são outra classe de drogas que podem causar problemas de saúde em longo prazo sem fornecer muito, se algum, benefício. Insanamente muito prescrito para condições que muitas vezes nem sequer respondem a eles, os antibióticos e seu abuso em longo prazo, o sistema médico tem feito muitas infecções mais virulentas e intratáveis.

De acordo com Shane Ellison, M.S., do The People's Chemist, os três antibióticos mais perigosos atualmente prescritos são o Levaquin (levofloxacina), Vancocin (cloridrato de vancomicina) e Bactrim (trimetoprim e sulfametoxazol). Ellison também lista quinolonas, a classe mais comumente prescrita de antibióticos, como perigosa, bem como, observando que antibióticos como Cipro (ciprofloxacina), Avelox (moxifloxacina HCL), e Floxin (ofloxacina) pode causar incapacidade grave e permanente. (Http://thepeopleschemist.com)



4) Antipsicóticos.

Uma das classes de medicamentos mais mortais, os antipsicóticos são comumente prescritos para condições como esquizofrenia, transtorno bipolar e depressão grave, bem como para muitas condições "off-label", tais como transtorno de humor leve e ansiedade diária. Mas as drogas antipsicóticas populares como Seroquel (fumarato de quetiapina), Abilify (aripiprazol), Risperdal (risperidona), e Zyprexa (olanzapina) têm mostrado aumentar os níveis de açúcar no sangue, elevar os níveis de colesterol e de lípidos, e promover o ganho de peso. (Http://www.nytimes.com)

Mas ainda mais preocupante, são os danos neurológicos e cerebrais em longo prazo que podem resultar do uso dos antipsicóticos, para não mencionar o risco muito elevado de síndrome metabólica, que pode incluir as principais condições de saúde como doenças cardiovasculares e diabetes (http: //www.sciencedaily .com / releases / 2012/11 / 121127190016.htm). Os Antipsicóticos são tão perigosos que um estudo publicado no British Medical Journal (BMJ) declarou-os a ser mais mortal do que o terrorismo.


5) Analgésicos Opióides.

Drogas farmacêuticas têm sido oficialmente declaradas uma das principais causas de morte nos Estados Unidos atualmente, e liderando o caminho são analgésicos opióides como o Vicodin (bitartarato de hidrocodona e paracetamol), OxyContin (oxicodona HCl), Percocet (oxicodona e acetaminofeno), codeína e morfina .

De acordo com um estudo fora da Universidade Brandeis, em Massachusetts, analgésicos são agora responsáveis por causar overdoses mais fatais do que a heroína e a cocaína combinadas. Os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) tem realmente declarado uma epidemia em resposta a este elevado número de mortes pelo uso de analgésicos opióides. (Http://www.naturalnews.com)



6) Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina (SSRIs).

Antidepressivos como Prozac (fluoxetina), Zoloft (sertralina), Paxil (paroxetina), e Lexapro (escitalopram) que são usados de longa data, mas os seus perigos normalmente recebem muito menos atenção do que merecem. Os efeitos colaterais como tendências suicidas, disfunção sexual, sangramento gastrointestinal e doenças cardíacas são apenas a ponta do iceberg quando se trata dos muitos efeitos colaterais de SSRIs.
Em alguns casos, os SSRIs podem realmente fazer os sintomas de depressão se tornar ainda piores, levando alguns indivíduos a se tornarem violentos.
(http://www.naturalnews.com/038458_SSRI_drugs_school_shootings_psychiatric.html)




Nota do Nutricionista:

Atualmente em nosso universo online a informação, ou melhor, a qualidade da informação é muito importante.
O mais preocupante é que a sociedade (sistema de saúde), na maioria das vezes nos torna escravo dessas drogas.
Triste realidade...








17 comentários:

  1. No geral seu texto está legal. Entretanto existem algumas coisas desatualizadas. A FDA até mesmo retirou a orientação de monitoramento de função hepática no caso de uso da estatinas.
    Segundo o próprio FDA no link que você mesmo postou no seu artigo:

    A monitorização de rotina das enzimas hepáticas no sangue, uma vez considerada procedimento padrão para usuários de estatina, não é mais necessário. Os meios de vigilância não foram capazes em ser eficaz em predizer ou prevenir os casos raros de lesões hepáticas graves associados ao uso de estatina.

    Danos cognitivos, tais como perda de memória, esquecimento e confusão, tem sido relatado por alguns usuários de estatina.

    As pessoas sendo tratadas com estatinas podem ter um risco aumentado dos níveis de açúcar no sangue e o desenvolvimento de diabetes Tipo 2.

    Alguns medicamentos interagem com lovastatina (Mevacor incluem marcas) e pode aumentar o risco de danos musculares.

    Este, em resumo é o aconselhamento atual para os profissionais da sáude para as estatinas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, Professor Cássio! Agradeço pelos comentários.

      Excluir
  2. Se e perigoso deve ser informado também na mídia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Maria! Essas informações normalmente ficam guardadas a sete chaves, sendo que a mídia procura não comentar mesmo.

      Excluir
  3. Concordo com os antipsicóticos e os efeitos colaterais. Mas e a questão que fica, um paciente esquizofrênico sem o antipsicótico, como por exemplo o Seroquel, vai fazer o que? Ficar surtando e sendo punido pela sociedade, ou melhor fazer uma dieta sem lactose ou glúten e tentar a sorte? Muito interessante a notícia em criticar, porém pouco informática no que se diz respeito a solução alternativa ao que foi criticado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fernando!
      Realmente a esquizofrenia é uma doença complicada e que podemos obter um resultado somente satisfatório com o uso do DHEA e do Ômega-3, mas a retirada do medicamento não é possível infelizmente.Caso queira conferir o link sobre DHEA e esquizofrenia este é o link: http://www.life-enhancement.com/magazine/article/830-dhea-helps-you-keep-your-mind

      Excluir
  4. Olá Reinaldo,
    desejo parabenizá-lo pela excelente postagem. Atuo como Farmacêutica-Bioquímica e desejo comentar, em relação as estatinas, que recentemente acompanhei o caso de um paciente utilizando-se de uma Estativa, que apresentava quase todos os sintomas colaterais descritos acima. E com a retirada do medicamento, ele teve melhora imediata. Existem diversas formas de tratar a hipercolesterolemia, e um nutricionista é sem dúvida a pessoa mais indicada para auxiliar na correção alimentar e implementação de uma dieta específica. Também desejo comentar sobre os antibióticos. Acompanhei dois casos, de crianças recém-nascidas, que ficaram surdas com o uso de Garamicina ( gentamicina) injetável. Esse medicamento, dentre tantos outros deveria ser excluído imediatamente da Pediatria. Estamos reivindicando isso, junto aos CRM e CRF e Ministério da Saúde. Em substituição à antibioticoterapia, existe uma parceria que resolve quase tudo: Própolis e Óleo de Copaíba.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Sandra!

    Muito bom ouvir isso de você e saber que existem outros profissionais que procuram trabalhar com outras substâncias que não agridem o organismo humano.
    A indústria farmacêutica é ótima, só precisa trabalhar para o bem.
    Eu que preciso parabenizá-la.
    Continue nessa linha!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pela postagem e pelos comentários também.
    Tomo o mínimo de medicamentos alopáticos possível e sou muito sensível à qualquer remédio.
    Tive uma crise por causa de cálculo renal e o US mostrou que a pedra parou na bexiga. Recebi medicação para alívio da dor no PS e me foi receitado medicamento à base de mesilato de doxazosina 4mg 1x10dias. Relutei em usar e como não consegui expelir o cálculo de 6mm, tomei 1 comprimido, após algumas horas senti minha PA baixar violentamente, senti tontura e fraqueza. Levei pelo menos 24 horas para me restabelecer. Esse medicamento é indicado para relaxar a uretra e não sei desde quando tem sido utilizado. Tive receio de continuar ingerindo e voltarei ao médico.
    Poderia me informar melhor sobre a ação e efeitos colaterais da droga?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Roseli!

      Os profissionais mais indicados para responder sua pergunta seriam o médico ou o farmacêutico.
      Quando voltar no seu médico, pergunte para ele a respeito da droga.
      De qualquer forma esses são os vários efeitos colaterais da droga em questão:
      Na experiência pós-comercialização, os seguintes eventos adversos adicionais foram relatados: Hematopoiético: leucopenia, trombocitopenia. Ouvido e labirinto: tinido (zumbido). Olho: visão turva. Gastrintestinal: constipação, diarréia, dispepsia, flatulência, boca seca, vômito. Geral: fadiga, mal-estar, dor. Hepatobiliar: colestase, hepatite, icterícia. Sistema imunológico: reação alérgica. Exames: testes da função hepática anormais, aumento de peso. Metabolismo e nutrição: anorexia. Músculo-esquelético e tecido conjuntivo: artralgia, cãibra muscular, fraqueza muscular. Sistema nervoso: tontura postural, hipoestesia, parestesia, síncope, tremor. Psiquiátrico: agitação, ansiedade, depressão, insônia, nervosismo. Sistema urinário: disúria, hematúria, disfunção urinária, aumento na freqüência urinária, noctúria, poliúria, incontinência urinária. Sistema reprodutivo e mama: ginecomastia, impotência e priapismo. Respiratório: agravamento de broncospasmo, tosse, dispnéia, epistaxe. Pele e anexos: alopecia, prurido, púrpura, rash cutâneo, urticária. Vascular: rubor, hipotensão. Os seguintes eventos adversos adicionais foram relatados durante a fase experimental de comercialização entre os pacientes tratados para hipertensão, mas esses, em geral, não são distingüíveis dos sintomas que podem ocorrer na ausência de exposição à doxazosina: bradicardia, taquicardia, palpitação, dor no peito, angina do peito, infarto do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais e arritmias cardíacas.

      Excluir
  7. Sou portador de esquizofrenia, qual a marca de Ômega 3 e DHEA devo comprar e qual dosagem tomar? Lembrando que faço tratamento com anti-psicóticos. Poderia me indicar algum site e marcas boas para comprar? E qual dosagem para utilizar estes suplementos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luiz Eduardo!

      Dosagem de DHEA: 50 a 100mg, tomados sempre em jejum.
      Vc pode comprar excelentes produtos nesses sites:

      http://www.lifeextension.com/
      http://www.vrp.com/
      http://www.vitacost.com/

      Dosagem de Ômega-3:
      ENtre 6 e 10 cápsulas ao dia, tomadas de forma fracionada ex: após o desjejum, almoço e jantar.

      Podem ser comprados nos mesmos sites citados acima.

      Excluir
    2. Posso tomar o DHEA e Ômega 3 por tempo indeterminado? nao posso ficar sem meus anti-psicóticos que no caos é Zyprexa (olanzapina) tem algum problema?

      Excluir
    3. Olá, Luiz Eduardo!
      O DHEA e o ômega-3 vc pode tomar pelo resto da vida, sem nenhum problema; o anti-psicótico infelizmente é difícil deixar de usar mas futuramente talvez vc consiga diminuir a dose com a ajuda do DHEA e do ômega-3.

      Excluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. O que a farmacêutica escreveu acima é a pura verdade dos malefícios dos antibióticos.tenho uma filha com surdez devido ao uso de antibióticos quando ainda bebê. Suasinformações são valiosas pra nós leigos. Parabéns! !!

    ResponderExcluir
  10. O que a farmacêutica escreveu acima é a pura verdade dos malefícios dos antibióticos.tenho uma filha com surdez devido ao uso de antibióticos quando ainda bebê. Suasinformações são valiosas pra nós leigos. Parabéns! !!

    ResponderExcluir